segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

História de Viagem - Península Valdés: um santuário de vida animal

Após 3.684 km de viagem chegamos, Valesca e eu, bem no dia do Natal – 25 de dezembro de 1998, ao nosso destino: a cidade de Puerto Madryn, Província de Chubut, na Patagônia Argentina. Viajar sob o clima árido do deserto e sol escaldante era fatigante, mas a expectativa de conhecer aquela região era maior.

Península Valdés. Fotos: Levis Litz


Seguindo as pesquisas


Muito tempo antes da partida para essa viagem, em Curitiba, quando planejávamos o roteiro, ficamos encantados com as imagens e informações que coletamos sobre a Península Valdés.

Descobrimos que a região tinha sido visitada pelo cientista inglês Charles Darwin que escreveu suas impressões sobre a fauna e a flora em várias páginas do seu diário de 1839. Anos depois, foi a vez do explorador Jacques Cousteau conhecer e registrar a interessante variedade de vida animal e vegetal que há no local. São lobos, leões e elefantes-marinhos, baleias, pingüins, guanacos (parente distante da lhama peruana), coelhos, raposas e pássaros exóticos que vivem em equilíbrio.


Todos os anos, de julho a outubro, na costa da Península Valdés, aparecem as baleias-francas-do-sul para a reprodução. Nos meses de fevereiro e março as baleias orcas aparecem com mais frequência. Entre nossa busca por imagens, a mais marcante foi a do vídeo produzido pela Time Life, distribuído no Brasil pela Abril Vídeo. Há cenas impressionantes de baleias orcas que se aproximam da praia e saem parcialmente da água para abocanhar os lobos marinhos.

Onde reina a biodiversidade

Com o tamanho da França, a Patagônia é uma região que ao mesmo tempo apresenta-se monótona (com uma vegetação rasteira interminável) e encantadora pelos segredos que se revelam ao longo do caminho. Um dos pontos mais relevantes é a Península Valdés que é um pedaço da Patagônia Argentina que se projeta no mar. Está ligado ao continente por um trecho de poucos quilômetros de largura.

A paisagem da península, como a maior parte da Patagônia, é árida e solitária. Um mundo de vida selvagem quase primitivo. Entre os arbustos podemos nos deparar com grupos de animais que correm livremente pela vegetação. Entretanto, os atrativos da península se encontram em suas margens onde existem os acantilados, gigantescos paredões verticais que têm aos seus pés dezenas de elefantes-marinhos. Com vários pontos de observações da costa, a Península Valdés pode ser explorada por conta própria ou em grupos turísticos com guias.

Roteiro: Península Valdés


Entre os meses de dezembro e abril, a Península Valdés apresenta-se como uma interessante e inesquecível região a ser visitada. A boa notícia é que a Argentina não tem poupado esforços em manter o lugar preservado. De fácil acesso, as alternativas de meios de transporte para a Península Valdés são muitas: avião (até a cidade de Rawson, próxima a Puerto Madryn), veículo motorizado próprio (as estradas argentinas são excelentes), ônibus (leve muitos livros para ler na viagem), bicicleta (tem que ter um bom preparo físico) ou até mesmo carona. Para isso, basta ter o polegar e tempo.

Pense bem: se um casal, em suas férias, fez uma viagem numa única e pequena motocicleta, uma Honda XL-125 cc, por aquelas paragens, por que você não conseguiria?

----------------------------------------------------------------------
Nota : Este texto reflete fielmente os fatos quando publicado, entretanto, alguns de seus dados podem ter sido alterado com o tempo. Certifique-se de obter informações atualizadas por outras fontes antes de tomar este texto como referência.

---------------------------------------------------------------------- Comente este texto aqui ou em: fotoserumos@gmail.com ou levislitz@hotmail.com
-----------------------------------------------------------------------------------
Quer ler mais Histórias de Viagem? Visite: Fotos e Rumos (http://www.fotoserumos.com/)

Nenhum comentário:

Postar um comentário